Pandemia de COVID-19 provoca redução no programa Frente de Trabalho em Ouroeste

Administração Da Redação em 19 de junho, 2020 19h06m
Facebook Twitter Whatsapp

A Prefeitura Municipal de Ouroeste está sendo obrigada a fazer uma readequação nos serviços públicos, dos colaboradores e ajustando a carga horária do programa frente de trabalho, em virtude da pandemia e da obrigatoriedade de evitar a aglomeração de pessoas, provocando a paralisação dos serviços em vários setores do município.

Atualmente cerca de 122 pessoas estavam trabalhando no programa frente de trabalho (até maio de 2020), sendo a maioria nas escolas municipais e cozinha piloto. Diante da pandemia que provocou a paralisação das aulas e de todas atividades nas escolas, estes serviços ficaram prejudicados desde março deste ano. Sem previsão para inicio das aulas alguns trabalhadores do programa frente de trabalho tiveram seus contratos suspensos temporariamente e outros reduzidos as suas cargas horarias até que a situação da pandemia se regularize. Parte dos que permaneceram foram direcionados para os setores de Saúde, setor este que está demandando mais pessoas para ajudar, outros na parte de limpeza urbana e no Abrigo Social, (Serviços essenciais).

De acordo com a chefe de Seção de Planejamento e Coordenação de Políticas Sociais, Alessandra Ferreira Fraga da Silva, os contratos foram suspensos e assim que voltar à normalidade precisaremos recontratar as pessoas novamente. “Os contratos estão suspensos, e tão logo tudo passe, todos poderão voltar ao trabalho, pois infelizmente o município passa por uma queda muito grande na arrecadação, de quase R$1 milhão de reais por mês, tornando obrigatório estas reduções no programa frente de trabalho,priorizando somente os serviços essenciais, que não podem ser paralisados neste momento de pandemia. Pedimos a compreensão de todos, mas não teríamos como manter todos, sendo que não há trabalho para todos neste momento e, todos continuaram sendo assistidos pelo setor de Assistência Social e, ainda pelo programa de Auxilio Emergencial do Governo Federal, que a grande maioria já recebe ou estão aptos a receber”, explica a coordenadora.

Publicidade
Compartilhe esta notícia:
Facebook Twitter Whatsapp

Comentários


Notícias relacionadas