Motorista que usou caminhonete para prensar comerciante vai a júri popular

Geral Da Redação em 17 de novembro, 2020 14h11m
Facebook Twitter Whatsapp

Caso foi registrado em 2018, em Buritama (SP). Isac Alexandre Gaspar Pinto foi condenado por dupla tentativa de homicídio qualificado.

O empresário Isac Alexandre Gaspar Pinto, acusado de usar uma caminhonete para prensar de propósito uma comerciante contra a parede de um depósito de bebidas, vai a júri popular. A decisão de pronúncia foi publicada nesta terça-feira (16). No entanto, a data para o julgamento ser realizado não foi marcada.

O crime foi registrado em 25 de agosto de 2018. Isac foi preso em Rio Verde (GO) depois de permanecer foragido por mais de 12 meses. Ele permanece à disposição da Justiça.

Em 22 de outubro, o empresário e a vítima, Elaine Negrelli, foram ouvidos durante a primeira audiência de instrução do caso.

Isac foi denunciado por dupla tentativa de homicídio qualificado, pois também tentou atropelar um parente de Elaine que trabalhava no comércio.

Caminhonete quebrou porta de vidro da loja de conveniência — Foto: Reprodução/Circuito de segurança

Eliane foi atropelada após uma confusão no estabelecimento comercial. Câmeras de segurança flagraram a ação do motorista (veja abaixo).

No vídeo é possível ver Isac, vestindo camisa azul, momentos antes de atropelar a comerciante. Ele está sentado com outras pessoas conversando em uma mesa.

Uma mulher loira, que seria a esposa dele, começa a discutir com uma moça da mesa ao lado. As duas brigam e o homem separa as mulheres e discute com a esposa.

Os dois saem da loja e ficam do lado de fora conversando por alguns minutos com outras pessoas.Em seguida, o homem tenta voltar para dentro da loja, só que a porta de vidro foi fechada.

Ele aparece tentando abrir à força, mas não consegue. Pela imagem dá para perceber que ele discute com alguém que está dentro da loja.

Isac parece ir embora e as pessoas começam a sair da loja, mas ele volta já dentro da caminhonete. O empresário para, desce e aparece jogando algum objeto. Na sequência, retorna para o veículo e coloca a caminhonete de frente para loja.

Publicidade

O motorista ainda chega a pedir para um rapaz tirar uma bicicleta da calçada. Então, acelera e bate contra a porta de vidro.

Um dos donos da loja sai e arremessa um objeto contra o motorista, que acelera a caminhonete de novo e, desta vez, atropela a comerciante.

Com o impacto, a mulher ficou prensada entre o veículo e a parede do prédio. Logo depois, o motorista foge sem prestar socorro à vítima.

Batida da caminhonete chegou a quebrar a parede da loja — Foto: Reprodução/Circuito de segurança

Na época em que a prisão de Isac foi realizada, Eliane disse em entrevista ao G1 que ainda possui sequelas dos graves ferimentos que sofreu ao ser prensada contra a parede do depósito de bebidas.

Além de ficar 44 dias internadas em um hospital da região noroeste paulista, ela precisou ser submetida a 10 cirurgias, sente dificuldades em andar e não consegue dobrar as duas pernas.

“O que ele fez comigo foi muito feito. Minha perna esquerda dilacerou inteira, perdi a massa muscular e a gordura. Além disso, minha bacia ficou moída e quebrei a pélvis. Por causa disso tudo, eu tive que fazer plástica, colocar placas e pinos. Meus ligamentos dos joelhos estão rompidos”, disse Eliane.

Ainda recebendo acompanhamento médico e fazendo sessões de fisioterapia, a mulher decidiu fechar o depósito de bebidas e sair de Buritama por conta das lembranças que possui.

Publicidade
Compartilhe esta notícia:
Facebook Twitter Whatsapp

Comentários