Desde o início de 2020, Birigui registrou mais de 500 acidentes com escorpiões

Geral Da Redação em 23 de novembro, 2020 08h11m
Facebook Twitter Whatsapp

De acordo com dados da Secretaria de Controle Local (Sucen) e vigilância epidemiológica, do início deste ano até 9 de novembro, foram registrados 552 casos de animais peçonhentos.

O Centro de Controle de Vetores e Zoonoses (CCVZ) de Biriji (SP) vem alertando os moradores sobre a quantidade de acidentes com escorpiões. De acordo com dados da Secretaria de Controle Local (Sucen) e vigilância epidemiológica, do início deste ano até 9 de novembro, foram registrados 552 casos de animais peçonhentos.

No mesmo período, foram 880 ocorrências. Autoridades de saúde não relataram morte por picadas de escorpião.

Em cerca de 90% dos casos, os animais peçonhentos saem da rede de esgoto por meio de esgotos, pias de cozinha, banheiros e caixas d'água.

Publicidade

Eles se alimentam de grilos, baratas, aranhas e cupins, e permanecem em detritos de construção, materiais e folhas secas caídas.

De acordo com o Centro de Controle de Vetores e Zoonoses (CCVZ), um dos motivos do aumento de acidentes e do surgimento de escorpiões é o uso abusivo de venenos e agrotóxicos por parte dos moradores.

O veneno não mata os escorpiões, apenas transfere os animais da rede de esgoto e chuva para o local de onde saíram para escapar da ação química causada pelo veneno e pelo agrotóxico.

Para diminuir o risco, a orientação é eliminar materiais que possam servir de residência e atrair seus alimentos, evitar deixar roupas no chão, verificar os sapatos antes de vestir, manter os móveis afastados pelo menos 10 cm das paredes e manter o lixo bem fechado.

Publicidade
Compartilhe esta notícia:
Facebook Twitter Whatsapp

Comentários