Depois de dez anos fechado, Prefeitura inicia processo de reativação do Museu

Geral Da Redação em 21 de janeiro, 2021 08h01m
Facebook Twitter Whatsapp

Com o objetivo de resgatar e preservar a memória de Jales e de quem fez parte da história da cidade, a Prefeitura, por meio de sua Secretaria de Esportes, Cultura e Juventude, iniciou na segunda-feira, dia 18 de janeiro, o processo para reativar o Museu Histórico Municipal, localizado no Espaço Cultural José Carlos Guisso.

Inaugurado em dezembro de 2002, o espaço se tornou muito frequentado por saudosistas e curiosos que podiam matar saudades ou conhecer parte da história da cidade, contada através de fotos, quadros, objetos, maquetes, entre outras peças. Porém, em março de 2011, há quase dez anos, o Museu foi desativado para que no local fosse montada uma exposição sobre a 2ª Guerra Mundial e as bombas atômicas que caíram sobre Hiroshima e Nagasaki, no Japão. Quando terminou a exposição em homenagem aos 100 anos da imigração japonesa, o espaço permaneceu fechado até hoje.

“Queremos e vamos reativar nosso Museu, que foi um dos cartões postais de nossa cidade. Estamos catalogando as peças e fotografias, inclusive até hoje já foram catalogadas quase 200, para devolver esse espaço para a população. Lembramos que para o Museu voltar a receber visitantes muitos desafios terão que ser superados”, contou o secretário de Esportes, Cultura e Juventude, Wilter Guerzoni.

E o secretário tem razão, ainda tem muito trabalho pela frente. Paralelamente à catalogação das peças está sendo feita a limpeza, higienização e restauração de algumas peças, pintura das vitrines que acomodam algumas peças, manutenção do prédio, entre outras medidas que se fizerem necessárias. Os responsáveis pelo Museu Histórico Municipal, Renato Bigotto e Marta Regina Robiati lembraram que serão feitos reparos nos ventiladores e nas luminárias do local. O secretário Wilter também solicitou orçamento para reparo nas calhas do telhado que estão danificadas e provocam infiltrações de água no museu e na biblioteca. “Sabemos que muitas vezes o espaço foi inundado por água das chuvas, causando verdadeiros estragos”, lembrou.

Publicidade

Após a desativação do museu, muitas famílias que haviam doado peças que representavam parte da história da cidade optaram por resgatá-las. “Por isso pedimos às famílias e moradores de Jales que tiverem interesse em fazer a doação de peças, maquetes, quadros, fotografias que possam preservar a história de nossa Jales, que procurem a Secretaria de Cultura, anexa ao Teatro Municipal, no cruzamento das ruas Oito e Sete, para efetuarem a entrega. As peças serão analisadas e serão muito bem-vindas”, ressaltaram Marta e Renato.

Entre as belas peças do Museu Histórico Municipal, fizeram parte do rico acervo quadros do pintor primitivista Armando Pereira da Silva e uma réplica da Igreja Bom Jesus, construída e doada pelo historiador Genésio Mendes Seixas.

O prefeito Luis Henrique Moreira falou sobre a importância do museu para a população e para a cidade. “Nosso museu tem o objetivo de preservar a memória de nossa cidade e de nosso povo, não pode permanecer desativado como vem acontecendo há quase dez anos. Fico muito feliz em nossa equipe já ter iniciado o processo de catalogação, limpeza, higienização e restauração das peças que vão trazer à memória parte da história de muitas famílias e moradores de nossa querida Jales. Não será um trabalho simples, mas vai valer a pena”.

Publicidade
Compartilhe esta notícia:
Facebook Twitter Whatsapp

Comentários