Mulher morta por pit bulls segurava pizza antes de ser atacada

O caseiro da chácara e namorado de Marli Donega Tizura​, de 53 anos, que morreu após ser atacada por seis cães da raça p

Geral Da Redação em 05 de agosto, 2021 12h08m

O caseiro da chácara e namorado de Marli Donega Tizura​, de 53 anos, que morreu após ser atacada por seis cães da raça pit bull, disse, em depoimento à polícia, que a vítima segurava uma caixa de pizza momentos antes de ser atacada pelos animais.

O homem recebeu alta do hospital no começo da semana após ficar mais de 10 dias e, por precisar fazer uma viagem, pediu à polícia que fosse ouvido ontem. Durante o depoimento, ele afirmou à polícia que Marli entrou na chácara com a caixa de pizza nas mãos e que isso atiçou os animais, que ainda não haviam sido alimentados.

 



"Ao retornar da pizzaria, os cães seriam alimentados, mas ela estava com a caixa de pizza nas mãos. E, chegando no local, os cães ficaram atiçados por causa do cheiro da pizza, mas não chegaram a atacá-la. Mas ela levantou as mãos e, segundo o caseiro, esse gesto intimida e provoca eles. Ele (o caseiro) viu que os cães começaram a rodeá-la, mas ele interveio para que ela não fosse atacada, de forma mais ríspida. Nisso, os cães estranharam até a voz de comando dele e cometeram o ataque", disse o delegado Nilton Marinho, responsável pela investigação.

Ainda segundo o delegado, o caseiro disse que foi atacado primeiro pelos pit bulls, que o arrastaram pelo terreno. Desesperada, Marli tentou ajudar o namorado, mas passou a ser alvo dos cães. Ao conseguir levantar, o caseiro foi até o carro, ligou para o dono da chácara e chamou por socorro.

​"Ele levou mordidas até na boca, e isso dificultou que ele pudesse dar sinais de comando aos cães para que eles parassem o ataque. Quando ele conseguiu se aproximar da Marli, ​após os cães se afastarem, ele notou que ela já estava sem vida", completou o delegado.

DAVA BANHO NOS CÃES

O caseiro disse à polícia que lavava o canil onde os animais ficavam e chegava a dar banho nos animais. "Ele tinha bastante contato com os animais, mas não soube dizer porque foi atacado pelos cães. Os animais até chegavam a subir na cama onde eles ficavam, eles tinham intimidade. Tudo leva a crer que foi uma fatalidade dos seis cães que, de forma descontrolada, ficaram alvoroçados, talvez pela fome, causando essa fatalidade", completou o delegado.

Agora, a polícia aguarda os laudos periciais das vítimas e do local. "Chegando esses laudos, por ora, não vislumbro ainda outras diligências. Quero ler as visões dos peritos e, em seguida, reavaliar o caso", finalizou.

Publicidade

Comentários