Mulher presa por suspeita de pedir resgate milionário após sequestro é diagnosticada com leishmaniose

A Prefeitura de Araçatuba confirmou o primeiro caso confirmado de leishmaniose em humanos.

Geral Da Redação em 08 de fevereiro, 2022 16h02m

A Prefeitura de Araçatuba confirmou o primeiro caso confirmado de leishmaniose em humanos. A vítima é a mulher de 24 anos, presa no sábado (5), suspeita de extorquir uma família após o sequestro da esposa de um empresário em Ponta Porã (MS).

A Vigilância Epidemiológica informou que está acompanhando o caso e já havia sido notificada na sexta-feira (4).​ Um bloqueio foi feito na casa da mulher, no bairro São Rafael, após a identificação.

​Vale lembrar que os primeiros casos de leishmaniose em humanos no Estado de SP foram registrados em Araçatuba e Guararapes, em 1987. No verão de 1990/91 foi registrada uma epidemia de grandes proporções, com início em Ribeirão Preto, que rapidamente se expandiu para municípios vizinhos e outras regiões.

Em 2021, a Secretaria Municipal de Saúde registrou cinco casos positivos da doença.

A doença​, transmitida pelo mosquito,​ é considerada uma das mais graves do mundo e, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), o Brasil é responsável mais de 95% dos casos nas Américas.​ A leishmaniose é transmitida pelo mosquito, apesar de o cachorro ser o principal reservatório do protozoário - porém, ele não transmite a doença.

A doença pode ser tratada com a administração de medicamentos que tratam os sintomas e reduzem as chances de transmissão do parasita a outros animais e humanos.

Publicidade

Comentários